sábado, 30 de abril de 2022

QUAL O FUTURO DA EDUCAÇÃO MIDIÁTICA NO PÓS PANDEMIA?


 

NOVOS MÉTODOS  PARA A  EDUCAÇÃO

1- HISTORICIDADE DAS TECNOLOGIAS DIGITAIS

* DÉCADA DE 1940

O 1º COMPUTADOR - ENIAC

O ENIAC era um projeto que inicialmente tinha o conceito de computar trajetórias balísticas para a II Guerra Mundial. Foi construído e criado por homens, mas o complexo sistema de programação foi criado por seis incríveis mulheres que precisaram esperar 40 anos para ganhar o devido reconhecimento do trabalho. 

SAIBA MAIS AQUI


VEJA AQUI UM DOCUMENTÁRIO SOBRE A EVOLUÇÃO DA INFORMÁTICA 


* DÉCADA DE 1950 - 

PROGRAMAÇÃO DE PC COM CÓDIGO BINÁRIO



CONSOLIDAÇÃO DA ERA DIGITAL

* 1957 - GUERRA FRIA

( PROJETO DE GOV + OBJETIVOS MILITARES) 



  • REDE GLOBAL DE COMPUTADORES
  • INFLUENCIA O ACESSO A INFORMAÇÃO


2- A EDUCAÇÃO E A INTERAÇÃO COM AS TIC´s - BRASIL

* TECNOLOGIAS ANALÓGICAS QUE EXISTIAM:



  • QUADRO NEGRO
  • GIZ
  • LIVRO DIDÁTICO


* 1939 - INSTITUTO RÁDIO MONITOR

COM ENSINO A DISTÂNCIA



* 1941 - INSTITUTO UNIVERSAL BRASILEIRO

EDUCAÇÃO PELO RÁDIO



  • O RÁDIO COMO DISSEMINADOR DE INFORMAÇÕES

* 1967- USO DA TV NA EDUCAÇÃO

SISTEMA AVANÇADO DE COMUNICAÇÕES INTERDISCIPLINARES

O TELEENSINO NO CEARÁ NOS FINAL DOS ANOS  80 E ANOS 90




* 1996- O MEC CRIA A TV ESCOLA



  • PROJETO SALTO PARA O FUTURO
  • SÉRIE: TIC´s NA EDUCAÇÃO: 

  • OBJETIVOS
1-DISCUTIR SOBRE O DESENVOLVIMENTO E FORTALECIMENTO DAS TIC´s 

2- OBSERVAR AS EXPERIÊNCIAS DOS EDUCADORES

3- PARCERIA ENTRE PÚBLICO E PRIVADO


* 1997 - PROINFO



  • FORNECE EQUIPAMENTOS PARA ESCOLAS PÚBLICAS
  • INSERIR AS ESCOLAS PÚBLICAS NA INTERNET

* 2007 - PROJETO UCA -
 1 COMPUTADOR POR ALUNO



  • LEPTOPS / NOTEBOOKS PARA ALUNOS DA REDE PÚBLICA
  • NEM TODOS OS ESTADOS ADERIRAM

* 2009 - PNBL
PROGRAMA NACIONAL DE BANDA LARGA



  • CRIADO PELO MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES
  • OBJETIVO: AMPLIAR O USO DE BANDA LARGA EM TODO O BRASIL

*COMO ESTÁ A RELAÇÃO EDUCAÇÃO E TECNOLOGIAS DIGITAIS ATUALMENTE?



  • REDES SOCIAIS
  • PLATAFORMAS EDUCACIONAIS
  • APLICATIVOS EDUCACIONAIS
  • INICIATIVA DO GOVERNO OU INICIATIVA PRIVADA
  • INSERIR PROF E ALUNO NAS TDIC´s
  • INFLUENCIAR PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM

* E VEIO A PANDEMIA ...



  • 11/03/2020 - OMS UMA DAS MAIORES CRISES DE SAÚDE DO SÉCULO XXI
  • O ENSINO DEVE SER RESSIGNIFICADO
  • SURGE O ENSINO REMOTO - USO DE RECURSOS DIGITAIS
  • MEC - PORTARIA 343 - SUBSTITUI AULA IN LOCO POR AULA EM MEIOS DIGITAIS
* SURGEM "NOVAS" METODOLOGIAS DE ENSINO - já existiam nos anos 1990



  • AULAS SÍNCRONAS
  • AULAS ASSÍNCRONAS
* NOVAS FERRAMENTAS : várias funcionalidades, diferentes contextos, ações pedagógicas remotas



  • CELULARES
  • TABLETS
  • NOTEBOOKS
  • PLATAFORMAS
  • LIVROS DIGITAIS
  • VÍDEOS 
  • INTERNET
* APRENDIZAGEM MEDIADA POR EDUCAÇÃO REMOTA EMERGENCIAL:


  • AUDIOVISUAL
  • FÓRUNS
  • QUESTIONÁRIOS
  • PLATAFORMAS
  • PORTIFÓLIOS
  • AULAS SÍNCRONAS  / ASSÍNCRONAS

* A REVISTA DA UFRJ FAZ LEVANTAMENTO DAS PRINCIPAIS PLATAFORMAS USADAS 



  • REDE ESCOLA  - 17 ESTADOS
  • GOOGLE CLASSROOM  - 5 ESTADOS

* PROBLEMAS IDENTIFICADOS



  • DEFICIÊNCIA NA DISTRIBUIÇÃO DA INTERNET BANDA LARGA 
  • FALTA DE PREPARAÇÃO DOS PROF PARA O ENSINO REMOTO E TDIC´s
* A DEFICIÊNCIA NA FORMAÇÃO ACADÊMICA DOS PROFESSORES



  • NÃO CONTEMPLA TDIC´s
  • GEROU PREJUÍZO NAS AULAS REMOTAS
  • OS PROF TIVERAM QUE SE ADAPTAR DE FORMA RÁPIDA NA PANDEMIA
  • SURGEM PROF YOUTUBERS, POR EXEMPLO
* SOBRE OS ALUNOS



  • FALTA DE INTERNET - DO INFANTIL AO SUPERIOR
  • FALTA DE MEIOS ELETRÔNCOS APROPRIADOS

* O QUE A EDUCAÇÃO REMOTA TROUXE DE POSITIVO AO ALUNO?



  • PAPEL ATIVO
  • O ALUNO PASSA A SER CORRESPONSÁVEL NO SEU PROCESSO DE APRENDIZAGEM
  • DESENVOLVER O LADO CRÍTICO E REFLEXIVO
  • INTERAGIR COM OUTRAS PESSOAS E RECURSOS PARA ELABORAR SEU PRÓRPIO CONHECIMENTO
  • INTERCÂMBIO - COMUNICAÇÃO  - PROFESSOR - ALUNO
  • ESTIMULAR NO ÂMBITO VIRTUAL: 
1- COMUNICAÇÃO
2- DISCUSSÃO
3- COLABORAÇÃO
4- SOCIALIZAÇÃO

  • ENCORAJAR A EXPLORAÇÃO DE NOVOS CONTEÚDOS ATRAVÉS :
1- DE RECUSRSOS DIGITAIS
2- OUTRAS FONTES DE INFORMAÇÃO
3- CRIATIVIDADE
4- CONHECIMENTO COMPLEXO

  • EXPECTATIVAS  X MAZELAS DO BRASIL
  • O QUE SE ESPERA ?





1- POLÍTICAS PÚBLICAS QUE INVISTAM EM TDIC´s NA EDUCAÇÃO
2- RESSIGNIFICAR PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM
3- NOVOS MÉTODOS
4- NOVAS INICIATIVAS
5- ENSINO COMO PRÁTICA SOCIAL
6- ENSINO MODIFICADO PELA RELAÇÃO E AÇÃO HUMANA
7- MELHOR RELAÇÃO PROFESSOR - ALUNO
8- ATENTAR PARA A REALIDADE DOS ALUNOS E PROFESSORES

* SOBRE AS METODOLOGIAS NO PÓS PANDEMIA - SÉCULO XXI



  • ENSINO HÍBRIDO
  • NÃO EXISTE MAIS SOMENTE UMA FORMA DE APRENDER
  • A APRENDIZAGEM É CONTÍNUA
  • PARTE PRESENCIAL E PARTE ONLINE
  • O ESTUDANTE CONTROLA O LUGAR, TEMPO, MODO E RÍTMO DE ESTUDO
  • O ALUNO É O CENTRO DO PROCESSO EDUCATIVO

* OS MODELOS DE ENSINO HÍBRIDO


1- ROTAÇÃO POR ESTAÇÃO ( GRUPOS COM ATIVIDADES VARIADAS)




2- LABORATÓRIO ROTACIONAL ( UMA PARTE DOS ALUNOS NO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA E OUTRA PARTE NA SALA DE AULA CONVENCIONAL)




3- SALA DE AULA INVERTIDA - O CONTEÚDO PE VISTO ANTES DE FORMA ONLINE E DEBATIDO EM SALA DE AULA. PODE HAVER GRUPOS EM REDES SOCIAIS ONDE O PROFESSOR POSTA CONTEÚDOS EM VÁRIAS MÍDIAS E O ALUNO CONSTRÓI O CONHECIMENTO PREVIAMENTE. 




4- ROTAÇÃO INDIVIDUAL - ALUNO FAZ ATIVIDADE DE ACORDO COM SUA NECESSIDADE. É NECESSÁRIO QUE O PROFº AVALIE PREVIAMENTE O ALUNO. 





* CONSIDERAÇÕES FINAIS




1- AS TDIC´s SÃO IMPORTANTES

2- EXISTE RESISTÊNCIA POR PARTE DE PROFESSORES, ESTUDANTES E FAMÍLIAS

3- É NECESSÁRIO ESTUDO, CAPACITAÇÃO  E ESTRUTURA DAS TDIC´s PARA APLICABILIDADE E VIABILIDADE 

4- POLÍTICAS PÚBLICAS DE INCLUSÃO : EDUCAÇÃO, CULTURA, SOCIEDADE, ECONOMIA

5- É FUNDAMENTAL ACOLHER ALUNOS, PROFESSORES, GESTORES E FAMÍLIAS



REFERÊNCIAS

ARRUDA, E. P. EDUCAÇÃO REMOTA EMERGENCIAL: elementos para políticas públicas na educação brasileira em tempos de Covid-19. Em Rede- Revista de Educação a Distância, Porto Alegre, v. 7, n. 1, p. 257-275, 2020. Disponível em: https://www.aunirede.org.br/revista/index.php/emrede/article/view/621. Acessado em: 08 Ago. 2020.

BARBOSA, Gilvaneide Ferreira de Melo. A Educação a Distância, as Tecnologias Educacionais e a Prática Interdisciplinar. Monografia (Especialização em Fundamentos da Educação: Práticas Pedagógicas Interdisciplinar) João Pessoa: UEPB, 2014.

BACICH, Lilian; NETO TANZI, Adolfo; TREVISANI, Fernando de Mello. Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação. Penso Editora, 2015.

BRASIL. PORTARIA Nº 343, de 17 de março de 2020. Dispõe sobre a substituição das aulas presenciais por aulas em meios digitais enquanto durar a situação de pandemia do Novo Coronavírus - COVID-19. DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO. Brasília, DF, 18 Mar. 2020. Ed. 53. Seção 1, p. 39. Disponível em: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-n-343-de-17-de-marco-de-2020-248564376. Acessado em: 01/08/2020.

GUIMARÃES, Angelo de Moura. Internet. In: CAMPELO, Bernadete Santos; CALDEIRA, Paulo da Terra. Introdução às fontes de informação. 2. Ed. Belo Horizonte: Editora Autêntica, 2008.

GUNTHER, Hartmut. Pesquisa Qualitativa Versus Pesquisa Quantitativa: Esta É a Questão? Psicologia: Teoria e Pesquisa. Mai-Ago 2006. Vol. 22 n. 2, pp. 201-210.

HONORATO, H.G. MARCELINO, A. C. K. B. A ARTE DE ENSINAR E A PANDEMIA COVID-19: A VISÃO DOS PROFESSORES. REDE – Revista Diálogos em Educação. V. 1, n. 1, p. 208-220, 2020.

LIMA, Ewerton Borges de Souza et al. Protocolo de intervenção do Departamento de Ortopedia e Traumatologia de um hospital universitário de alta complexidade para enfrentamento da pandemia de COVID-19. Rev. bras. ortop. vol. 55. nº3. São Paulo. Maio/Jun. 2020. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-36162020000300269&script=sci_arttext&tlng=pt. Acessado em: 02/08/2020.

MENDONÇA, Rosa Helena et al. Tecnologias Digitais na Educação. Salto para o futuro, ano 19. Boletim 19, 2009.

MOREIRA, J.A.M. HENRIQUES, S. BARROS, D. Transitando de um ensino remoto emergencial para uma educação digital em rede, em tempos de pandemia. Dialogia, São Paulo, n. 34, p. 351-364, jan./abr. 2020. Disponível em: www.revistadialogia.org.br. Acessado em 29 Jul. 2020.

MORAN, José. Metodologias ativas e modelos híbridos na educação. In: YAEGASHI, Solange et al. (org). Novas Tecnologias Digitais: Reflexões sobre mediação, aprendizagem e desenvolvimento. Curitiba: CRV, 2017, p.23-35.

REGUEIRO, Eloisa Maria Gatti, et al. Ensino mediado por tecnologias no curso de Fisioterapia do Centro Universitário Barão de Mauá durante o período de pandemia da COVID-19. Revista Interdisciplinar de Saúde e Educação. Ribeirão Preto, v. 1, n. 1, 2020.

SOARES, Simária de Jesus, et al. O Uso das Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação no Processo de Ensino Aprendizagem. Minas Gerais, 2015. Disponível em: http://www.abed.org.br/congresso2015/anais/pdf/BD_145.pdf. Acesso em: 17 jul. 2020.

SUNAGA, Alexsandro; CARVALHO, Camila Sanches. As tecnologias digitais no ensino híbrido. Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso, p. 141-154, 2015.

PIMENTA, Selma Garrido; ANASTASIOU, Léa das Graças Camargo. Docência no Ensino Superior. São Paulo: Cortez, 2014.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO [UFRJ]. Em defesa da educação pública comprometida com a igualdade social: porque os trabalhadores não devem aceitar aulas remotas. Coletivo de Estudos em Marxismo e Educação [Colemarx]. Programa de Pós Graduação em Educação [PPGE] da Faculdade de Educação. 22 abr. 2020. Disponível em: http://www.colemarx.com.br/artigos-produzidos/. Acesso em: 07 Jul. 2020.


sexta-feira, 15 de abril de 2022

MEMES DOS ALUNOS DO 8º ANO SOBRE REVOLUÇÃO FRANCESA E ERA NAPOLEÔNICA


MEME DA ALUNA ANGELINA



MEME DA ALUNA ANNY



MEME DO ALUNO ARTHUR CALEGARI


MEME DA ALUNA ESTER




MEME DA ALUNA SOPHIA FERREIRA

MEME DA ALUNA SAMILLY LIMA

MEME DA ALUNA STELA RODRIGUES

MEME DA ALUNA SOPHIA DO CARMO









domingo, 27 de fevereiro de 2022

CONFLITO RÚSSIA X UCRÂNIA: RESPONDENDO PERGUNTAS DOS SEGUIDORES DO BLOG


 Desde que o conflito entre Rússia e Ucrânia começou, tenho recebido diversas perguntas dos seguidores do blog sobre o assunto. Seguem abaixo as perguntas e as respostas. 


1- COMO TUDO COMEÇOU?



A disputa entre Rússia e Ucrânia começou oficialmente depois de uma invasão russa à península da Crimeia, em 2014. O território foi “transferido” à Ucrânia pelo líder soviético Nikita Khrushchev em 1954 como um “presente” para fortalecer os laços entre as duas nações. A Rússia não admite a adesão da Ucrânia à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), por considerá-la parte integral do seu território. Putin quer “desmilitarizar” e “desnazificar” o País e tirá-lo da esfera de influência do Ocidente.

 

2- QUAL A RELAÇÃO ENTRE O CONFLITO ATUAL E A GUERRA FRIA?



Apesar da escalada recente, o conflito entre Rússia e Ucrânia vai além de um desentendimento pontual entre países vizinhos. Sob a ótica da história e da geopolítica, a guerra atual revela um jogo de interesses que se estende desde a Guerra Fria, quando a União Soviética (URSS) se opôs aos Estados Unidos.

 

3-QUAL A FORMA DE GOVERNO VIGENTE NA UCRÂNIA?

h


A Ucrânia é um país de regime semipresidencialista, ou seja, o gabinete e as funções executivas nacionais são divididos entre o presidente (com mandato de cinco anos) e o primeiro-ministro, além de uma influência mais destacada do parlamento. O presidente ucraniano é Viktor Yanukovich, uma personalidade polêmica no país em virtude dos eventos eleitorais relacionados com a Revolução Laranja de 2004, o que o torna inimigo de uma poderosa e influente oposição “pró-ocidente”, a mesma que atualmente lidera boa parte das manifestações no país.

 

4- QUAL A INFLUÊNCIA DA RÚSSIA E DA EUROPA SOBRE A UCRÂNIA?



Uma instabilidade política que marca a região há vários anos. A extinta União Soviética – da qual o território ucraniano era integrado – industrializou-se por meio de uma integração estrutural envolvendo todas as suas repúblicas, com o objetivo de garantir uma maior estabilidade territorial. Após a queda do Muro de Berlim, os países ex-soviéticos encontravam-se muito interdependentes, fato que se mantém ainda hoje em muitos aspectos. Atualmente, a Ucrânia depende comercial e economicamente da Rússia, sobretudo por esta lhe fornecer gás natural, fonte de energia primordial ao país, e por ser o principal comprador de inúmeras matérias-primas produzidas pela economia ucraniana. Quando a Ucrânia se aproximou da União Europeia, a Rússia ofereceu melhores acordos econômicos e, segundo algumas versões não confirmadas oficialmente, ameaçou cortar o fornecimento de gás e a compra dos produtos ucranianos, além de impor restrições alfandegárias. Por outro lado, a União Europeia, sobretudo a Alemanha, busca ampliar a sua influência sobre as nações asiáticas mais próximas ao ocidente, como é o caso da Ucrânia. Com isso, o bloco europeu conseguiria enfraquecer o domínio russo na região e também diminuir o poder da CEI (Comunidade dos Estados Independentes), bloco econômico formado pelas antigas repúblicas soviéticas.

 

5- QUE PAÍSES FAZEM PARTE DA OTAN ATUALMENTE (2022)?



ALBÂNIA (2009), ALEMANHA (1955), BÉLGICA (1949), BULGÁRIA (2004), CANADÁ (1949), REPÚBLICA CHECA (1999), CROÁCIA (2009), DINAMARCA (1949), ESLOVÁQUIA (2004), ESLOVÉNIA (2004), ESPANHA (1982), ESTADOS UNIDOS (1949), ESTÓNIA (2004), FRANÇA (1949), GRÉCIA (1952), HOLANDA (1949), HUNGRIA (1999), ISLÂNDIA (1949), ITÁLIA (1949), LETÓNIA (2004), LITUÂNIA (2004), LUXEMBURGO (1949), MACEDÓNIA DO NORTE (2020), MONTENEGRO (2017), NORUEGA (1949), POLÓNIA (1999), PORTUGAL (1949), REINO UNIDO (1949), ROMÉNIA (2004), TURQUIA (1952)

 

 

6-  POR QUE OS EUA NÃO DEFENDEM A UCRÂNIA?




Em primeiro lugar, a Ucrânia não está próxima geograficamente. O país não está localizado na fronteira dos EUA e nem abriga uma base militar americana. Ele também não possui reservas estratégicas de petróleo e não é um grande parceiro comercial. Além disso, ele descartou o envio de forças para a Ucrânia com o objetivo de resgatar cidadãos dos EUA. Para completar, o presidente americano retirou tropas que estavam na Ucrânia servindo como conselheiros e monitores militares.

Mas essa falta de interesse não impediu ex-presidentes de gastar sangue e dinheiro em nome de outras nações no passado.

Ex1.: Em 1990, George H. W. Bush justificou uma coalizão internacional para expulsar o Iraque do Kuwait como uma defesa do Estado de Direito contra o domínio da selvageria.

Ex2.: Em 1995, Bill Clinton interveio militarmente na guerra que se seguiu ao colapso da Iugoslávia.

Ex3.: Em 2011, Barack Obama fez o mesmo na guerra civil da Líbia, em grande parte por motivos humanitários.

 

 

7- DE QUE LADO ESTÁ O BRASIL NESSE CONFLITO?





O presidente Jair Bolsonaro acaba de voltar da região, onde beijou a mão de Putin, se disse solidário aos russos, e colocou o Itamaraty em posição humilhante e contraditória, criticada por Biden. Com uma disputa armada em andamento, ele vai aprofundar ainda mais a condição do Brasil de pária internacional.

 

8-  QUAL A DIFERENÇA DO POTENCIAL MILITAR DA RÚSSIA PARA O DA UCRÂNIA?






A assimetria entre as forças de guerra da Rússia e da Ucrânia é notável. A Rússia conta com 2,9 milhões de soldados, 900 mil na ativa, e a Ucrânia, com 1,1 milhão, sendo cerca de 200 mil prontos para o combate. A capacidade armamentista também é desproporcional. Além do maior poderio nuclear do planeta, Putin tem à disposição 12 mil tanques, 30 mil blindados e 2,5 mil aeronaves de ataque, enquanto Zelenski conta com 2,5 mil tanques, 12 mil blindados e 132 aeronaves.

 

9-  COMO ESSE CONFLITO AFETA O BRASIL?





A invasão da Ucrânia pelos russos apavora o planeta com a perspectiva de um conflito sangrento, afeta drasticamente a economia global e já traz efeitos para o Brasil associados à alta estrondosa do petróleo e ao inevitável aumento da inflação e da pobreza.

 

10-QUAIS PRODUTOS O BRASIL EXPORTA E IMPORTA DA RÚSSIA E DA UCRÂNIA?






Especificamente com o Brasil, os dois países estão bem distantes dos principais parceiros comerciais. Em 2021, as exportações para a Rússia somaram US$ 1,587 bilhão, enquanto que, para a Ucrânia, foram de US$ 226 milhões. Os principais produtos brasileiros exportados para a Rússia foram soja, café, frango, açúcar, amendoim, carne bovina e ferro-nióbio. Já para a Ucrânia, foram amendoim, bauxita, açúcar, café, pulverizadores, soja e tabaco.

 

11- QUAIS PAÍSES APOIAM A RÚSSIA?



Os principais aliados da Rússia pertencem a um bloco chamado de Organização do Tratado de Segurança Coletiva (OTSC). Além da própria Rússia, os países da OTSC são:

Armênia, Belarus, Cazaquistão, Quirguistão, Tajiquistão

A OTSC foi formada no começo dos anos 1990, após o fim do Pacto de Varsóvia e da Guerra Fria.

 

12- QUAIS PAÍSES SÃO CONTRA A RÚSSIA?



Alemanha, Bélgica, Estados Unidos, França, Israel, Japão, Reino Unido, República Tcheca, Turquia

 

13- QUAIS PAÍSES APOIAM A INVASÃO ?



Belarus

Venezuela

 

14- QUAIS PAÍSES ESTÃO EM CIMA DO MURO?



China

Brasil



15- A RÚSSIA ESTÁ ENTRE AS MAIORES EXPORTADORAS DE ARMAMENTOS?




Em 2021, a Rússia entrou para a lista dos cinco maiores exportadores de armamentos do mundo, junto com os Estados Unidos, China, Alemanha e França. O país é responsável por quase 20% de todas as armas vendidas no mercado internacional.

 

Neste ano, apesar da pandemia, a Rússia conseguiu aumentar as receitas provenientes da venda de equipamentos militares em US$ 10 bilhões, segundo o diretor do Serviço Federal de Cooperação Técnica Militar, Dmítri Chugaev. No total, em 2021, a Rússia assinou contratos militares que totalizaram US$ 55 bilhões.

 

16- EXISTE A POSSIBILIDADE DE INICIAR A TERCEIRA GUERRA MUNDIAL?






Segundo os cientistas NÃO!  Por pior que seja a situação na fronteira entre Rússia e Ucrânia neste momento, não se imagina um confronto militar direto entre a aliança militar Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) e a Rússia. 


Fonte: as questões foram respondidas de acordo com opiniões de cientistas políticos, militares e jornais de grande circulação como: CNN, BBC, G1, UOL.